Aniversário

O aniversariante da semana o pecuarista Nilton Mascarenhas cercado pela sua mulher Silvia e as netas Caroline e Aline Mascarenhas

JUÍZA DETERMINA AULAS PRESENCIAIS NA BAHIA
A juíza da 6ª Vara da Fazenda Pública de Salvador, Juliana de Castro Madeira Campos, determinou, na noite da sexta (5), através de liminar, o retorno às aulas presenciais na Bahia até o dia 1º de março. A decisão da juíza é em resposta a uma ação popular feita pelo vereador de Salvador Alexandre Aleluia. Segundo a Secretária Municipal de Educação de Feira de Santana, professora Anaci Bispo Paim, até o momento só existe o conhecimento da notícia, mas não chegou nenhum comunicado oficial ao Órgão.

PREFEITURA DO RIO DE JANEIRO PROÍBE EVENTOS CARNAVALESCOS
A prefeitura do Rio de Janeiro publicou na sexta-feira (5), em Diário Oficial, um decreto que proíbe a concentração e desfile de blocos e escolas de samba na cidade no período de 12 a 22 de fevereiro. O objetivo da medida é evitar aglomerações durante o período carnavalesco na cidade, devido à pandemia de covid-19.

Uma das determinações é que se algum bloco insistir em desfilar esse ano, ele não receberá autorização para participar da folia carioca em 2022. Também está proibida a entrada de ônibus, vans e outros veículos fretados na cidade entre os dias 12 e 22.

A museóloga Monica Xexéo, diretora do Museu Nacional de Belas Artes (MNBA) desde 2006, foi exonerada da função na quinta-feira (4). O desligamento foi publicado no Diário Oficial da União, em portaria de 3 de fevereiro, assinada pelo ministro do Turismo, Gilson Machado. O MNBA será dirigido de forma interina por Vera Mangas, dirigente da Representação Regional do Ibram no Rio de Janeiro.

O acervo do museu carioca, aberto em 1937 no prédio que abrigou a Escola de Belas Artes, na região central do Rio, tem a maior coleção de arte brasileira do século 19, e tem peças como a monumental tela “Batalha do Avaí”, de Pedro Américo, e obras de Eugène Boudin, professor de Monet. (Folhapress)

VACINA HIV SERÁ TESTADA NO BRASIL
Em conjunto com centros de pesquisa de diversos países, a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) aderiu ao estudo para testar a eficácia de vacina contra o vírus HIV, que interfere na capacidade do organismo de combater infecções. Trata-se do estudo Mosaico, que vai avaliar dois imunizantes projetados para fornecer proteção contra diferentes variedades do vírus em todo o mundo.