Operários poloneses trabalham nos retoques finais do maior sino do mundo, que, em 2019, será transportado de navio para o Brasil (Foto: Dominik Gajda/AFP)